Header Ads

Áudio: Comerciante chora e relata corte de energia em boxes do Mercado Público de Rio Tinto


Na manhã de hoje (08/06), alguns estabelecimentos comerciais do Mercado Público de Rio Tinto amanheceram sem energia elétrica. A administração do Mercado Público alegou que o corte foi feito pela Energisa na noite da última quarta-feira (07) devido, segundo a mesma, os boxes não pertencerem ao Mercado Público.

Os comerciantes, por outro lado, alegam que nunca receberam "uma conta de luz, sequer", que não foram comunicados com antecedência sobre o corte de luz e que há 20 anos os estabelecimentos sempre funcionaram normalmente com pagamento de taxas semanais à Prefeitura Municipal que, segundo eles, já estaria incluso o fornecimento de energia.

O Paraíbaki entrevistou um senhor de idade, o comerciante Sr. Missanto, proprietário de um açougue que teve a energia cortada e que chegou a chorar ao nos mostrar a situação do seu estabelecimento.

Lá, encontramos uma freezer com carnes e com degelo devido à falta de energia. Num boxe vizinho, o som utilizado para vender CD's não pôde funcionar. Um outro estabelecimento, de fabricação de gelo, teve seu estoque derretido.

Boxes recebiam fornecimento de energia do
Mercado Público há 20 anos.
O comerciante, mais conhecido como Sr. Missanto, relatou que procurou o Secretário de Desenvolvimento Urbano e Rural de Rio Tinto, Natanael Leal. Ao indagar o secretário sobre o corte na energia em seu estabelecimento, o secretário respondeu que "os boxes que tiveram energia cortada não pertencem ao Mercado Público e que a Energisa cortou devido a existência de um 'gato' no sistema de distribuição de energia" que fica localizado no prédio da administração do mercado.

" - Faz 20 anos que estou lá negociando, nunca 'bulí' na energia. Faz 20 anos que trabalho aqui. Desde Augusto Rodrigues. Nunca aconteceu isso", disse o comerciante.

Açougue sofre com carnes prestes a estragarem. 
O Sr. Missanto questionou, então, sobre seus produtos que correm risco de estragar, recebendo como resposta do secretário, - "Não temos nada haver com isso, mas que o comerciante pode procurar seus direitos", segundo o comerciante.

Sr. Missanto, assim como outros comerciantes afetados, decidiram que irão recorrer a justiça para que a situação seja resolvida e os danos causados aos seus produtos sejam reparados.

Confira o áudio:



Estabelecimentos têm chaves ligadas diretamente ao
sistema de fornecimento de energia do Mercado e não
possuem 'relógios' da Energisa.

A reportagem do Paraíbaki visitou alguns boxes afetados e verificou que os mesmos "não têm relógio medidor de energia", algo crucial para que os comércios pudessem ser independentes do Mercado Público. Outro fato averiguado foi de que os estabelecimentos afetados fazem parte da rede elétrica do Mercado Público de Rio Tinto desde a construção do mesmo e que os comerciantes pagam semanalmente uma taxa de imposto à prefeitura, a qual, inclui o fornecimento de energia por igual à todos os boxes do Mercado Público.


Problemas repentinos

Não é de hoje que o Mercado Público de Rio Tinto vira notícia no que se refere à Setor Elétrico. Comerciantes reclamam há vários meses de quedas de energia durante dias de feira. O problema é devido a um aumento na demanda de consumo de energia elétrica e que resulta com quedas no fornecimento. Até o momento o problema ainda permanece, segundo alguns comerciantes.


Paraíbaki

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.